Usar a bicicleta no inverno

Se começou a usar a bicicleta como meio de transporte ou pondera começar a usar, mas ainda tem receio que o clima de Braga não seja favorável, este artigo é para si. Apesar das deficiências na rede viária, em termos de condições para o uso da bicicleta, a verdade é que esta cidade tem uma extensa área plana e uma densidade urbana que pode concentrar em alguns percursos curtos grande parte dos serviços necessários no dia-a-dia. Além disso, conta com um clima bastante ameno quando comparado com outras cidades europeias onde se pedala muito mais e todo o ano.

Em Braga, temos sol na maior parte dos dias do ano, mas quem me conhece sabe que sempre gostei de chuva. Uma das vantagens é que a chuva reduz consideravelmente a amplitude térmica, ou seja, não faz tanto frio e tanto calor no mesmo dia, o que facilita na hora de escolher a roupa.

Então, como lidar com a chuva?

1. Otimismo

Em primeiro lugar, reconhecer que a chuva é boa e faz falta. Pedalar à chuva tanto pode ser inconveniente, como pode tornar-se uma atividade muito prazerosa – a forma como nos preparamos conta muito. Ir de bicicleta para o trabalho num dia de chuva pode significar, por exemplo, chegar a horas, mesmo quando há trânsito por causa de acidentes ou inundações.

2. Revisão em dia

Se ainda não fez uma revisão geral à bicicleta, esta é uma boa altura. Uma bicicleta devidamente afinada e lubrificada ajudará a tornar mais seguras as suas viagens.

Pondere também pedir ao seu mecânico para colocar uns guarda-lamas e um protetor de corrente, caso a bicicleta não os tenha. Ah, e uns alforges ou uma grade para a bagagem. Dão sempre jeito para levar as compras, a merenda ou roupa extra. E porque, mesmo que não chova, podemos levar o fato impermeável para o caso de chover mais tarde.

3. Verificar luzes e refletores

Especialmente nesta altura do ano, em que os dias são curtos e mesmo de dia a visibilidade pode ser fraca, convém verificar se a bicicleta tem todos os refletores obrigatórios (branco à frente, vermelho atrás, e ainda dois laranja em cada roda) e se as luzes funcionam (branca à frente, vermelha atrás). Um bom conjunto de luzes é absolutamente essencial!

Nesta altura do ano, todo o cuidado é pouco. Em caso de má visibilidade, não hesite em usar as luzes até de dia. Isso ajudará os outros condutores a notarem a sua presença através dos para-brisas molhados e embaciados.

4. Vestuário adequado

Ninguém gosta de ficar molhado e frio num daqueles dias. Escolher um equipamento que nos permita ficar quentes e secos por dentro, mesmo que as mãos e a cara se molhem um pouco. Há várias soluções de roupa impermeável à venda nas lojas de bicicletas. Pessoalmente, costumo optar por um casaco com capuz e umas calças impermeáveis, que visto por cima da roupa normal que uso no dia-a-dia. Mas há quem prefira um poncho, talvez por ser mais fácil de vestir e de tirar. Se o calçado não for à prova de água, também existem umas pequenas coberturas que podemos usar por cima do calçado normal e que permitem que a água escorra por fora, mantendo os pés secos. Umas luvas podem dar jeito.

Aos poucos, vamos ajustando o vestuário às nossas necessidades e ao nosso conforto. Por exemplo, ao pedalar o corpo aquece e o impermeável ajuda a manter o ar quente junto à roupa. Por isso, pode não fazer falta usar roupa tão quente enquanto pedalamos. Em vez disso, podemos levar nos alforges um casaco ou uma camisola para vestir mais tarde.

5. Ajustar a condução

Para além das más condições de visibilidade, com água os travões não respondem tão bem. Convém por isso moderar especialmente a velocidade para não derrapar ao curvar ou travar.

Victor Domingos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.