Braga Ciclável reuniu com candidata a deputada do Livre

Braga Ciclável reuniu com candidata a deputada do Livre


Na passada quinta-feira, dia 26 de Setembro de 2019, a associação Braga Ciclável reuniu com Teresa Salomé Mota, candidata do Livre pelo círculo eleitoral de Braga às eleições legislativas de 6 de Outubro de 2019. A Braga Ciclável esteve representada por Victor Domingos e João Forte.

A reunião começou com uma explicação sobre o historial da associação Braga Ciclável. Teresa Salomé Mota quis então conhecer algumas das propostas que ao longo dos anos têm sido apresentadas por esta associação aos vários executivos municipais. Victor Domingos, membro fundador e vice-presidente da Braga Ciclável, recordou a esse propósito a Proposta Para Uma Mobilidade Sustentável, que já em 2012 alertava para a necessidade de instalar estacionamentos adequados para bicicletas e de criar eixos prioritários para uma rede ciclável, nomeadamente entre a Estação de Comboios, o centro da cidade e o Campus de Gualtar. Do exposto, salientou-se uma execução pouco efectiva das propostas apresentadas nos últimos anos e uma debilidade estrutural no domínio da mobilidade dentro e fora da cidade, com óbvio destaque para o eixo Estação de Comboios/Universidade do Minho.

Foram também abordadas uma série de questões ligadas à mobilidade sustentável na cidade de Braga, como o uso da bicicleta e a sua eficácia nas pequenas e médias distâncias, o simples gesto de fazer pequenos trajectos a pé, a complementaridade dos modos suaves com o uso dos transportes públicos e o uso do automóvel. Relativamente a este último, debateram-se formas de diminuir o tráfego de carros no centro da cidade, em favor de mais e melhores transportes públicos e de uma mobilidade sustentável. Deu-se um destaque ao papel que a acalmia de tráfego pode ter na segurança e na própria qualidade de vida da população.

Foi pedida pelo Livre a opinião da Braga Ciclável sobre as actuais infra-estruturas e um parecer sobre o que pode ser feito para melhorar as mesmas e mitigar os actuais problemas.

A este propósito, a Braga Ciclável aproveitou para sublinhar a importância da segurança rodoviária e a gravidade dos problemas crónicos que se constatam em Braga, concretamente os excessos de velocidade e as “auto-estradas” que “cortam” a cidade em áreas diferenciadas. Estes factores são determinantes na hora de decidir pela utilização, ou não, da bicicleta na cidade e concelho de Braga. A Braga Ciclável salientou que a insegurança presente um pouco por toda a cidade, a par da falta de infra-estruturas, constitui-se como um entrave substancial ao uso da bicicleta por um número significativo de potenciais utilizadores. Algo a que não são alheios os factos de existir uma fiscalização deficiente das velocidades excessivas, das distâncias de segurança e do estacionamento de automóveis em passeios e ciclovias, bem como uma sensibilização rodoviária incipiente em relação a esta problemática.

Ao finalizar a reunião, a candidata do Livre enfatizou a importância dos modos suaves na mobilidade urbana e o seu impacto positivo em termos ambientais.

Candidatos do PS reuniram com Braga Ciclável

Candidatos do PS reuniram com Braga Ciclável


No passado dia 21 de setembro de 2019, a associação Braga Ciclável reuniu com os candidatos à Assembleia da República pelo círculo eleitoral de Braga do Partido Socialista (PS). Os candidatos José Mendes, Sónia Fertuzinhos, Palmira Maciel e Hugo Pires conversaram com Mário Meireles e Rafael Remondes sobre diversas questões relacionadas com a mobilidade em Braga.

A reunião, que surge na sequência de outras que a associação Braga Ciclável tem vindo a realizar ao longo dos últimos meses com todos os partidos, teve como principal ponto de discussão a mobilidade de Braga. Foram referidos e discutidos os principais problemas da cidade e do concelho relativamente à mobilidade. 

Do lado do PS, foi referido o problema da falta de oferta no transporte público, que em parte ajuda a explicar vários constrangimentos no trânsito. Um dos elementos do PS referiu como exemplo o problema do transporte escolar, em que muitos pais levam os seus filhos à porta da escola de carro causando engarrafamentos frequentes em vários pontos da cidade e, em especial, na Avenida 31 de Janeiro. A esse propósito, foi também dito pelos candidatos do PS que a falta de condições para o uso da bicicleta também leva a que única alternativa para a mobilidade dos munícipes seja o automóvel.

De assinalar também que foi discutido na reunião o modelo de transporte que foi sendo seguido ao longo dos anos em Braga, um modelo centrado unicamente no automóvel com largas estradas a cruzarem a cidade. Esse modelo foi classificado por José Mendes como antiquado, insustentável, e que é motivo de algum embaraço para o candidato pelo PS e actual Secretário de Estado com a tutela da mobilidade. 

Mário Meireles, da Braga Ciclável, concordou com os problemas apresentados pelos elementos do PS, deixando claro que tem sido objectivo da associação a que preside, desde a fundação, melhorar a mobilidade dos cidadãos de Braga apresentando a bicicleta como alternativa para a maior parte das deslocações urbanas. No entanto, deixou claro que para a bicicleta ser uma verdadeira alternativa será sempre preciso melhorar as infraestruturas da cidade para incentivar mais pessoas a optarem por um modo de transporte mais sustentável, seja um modo ativo ou suave (a pé, de bicicleta, de bicicleta pedelec, de skate, de patins em linha), seja também através da utilização de um modo colectivo, mas sempre em contraponto com o carro. Isto em busca de ruas mais equilibradas, mais democráticas, onde seja possível utilizar qualquer modo de transporte, sem que se corra risco de vida (ao contrário do que acontece hoje).

A reunião terminou com uma declaração de José Mendes a garantir que a mobilidade é um ponto importante no programa eleitoral do PS e que isso passa também por incentivar o uso da bicicleta mas também dos transportes colectivos, em especial o transporte público.

Braga Ciclável reuniu com candidatos a deputados do BE

Braga Ciclável reuniu com candidatos a deputados do BE


Na passada quarta-feira, dia 17 de Setembro de 2019, a associação Braga ciclável reuniu com os candidatos do Bloco de Esquerda(BE) pelo círculo eleitoral de Braga nas eleições legislativas de 6 de Outubro de 2019. O BE fez-se representar por Alexandra Vieira, Carlos Machado, Fernando Bessa e Manuela Airosa. Do lado da Braga Ciclável estiveram presentes Rafael Remondes e Victor Domingos.

A reunião começou com a apresentação dos candidatos do BE e com uma breve introdução da agenda do partido sobre a área ambiental.

Victor Domingos passou então a fazer uma breve explicação sobre as história da associação, desde os tempos em que era apenas o blog em nome pessoal até se tornar um movimento/associação cívica para promover e consciencializar para o uso da bicicleta na cidade e concelho de Braga.

Alexandra Vieira questionou depois a associação sobre as propostas apresentadas ao município de Braga. Victor Domingos referiu que a Braga Ciclável apresentou propostas em 2013 ao anterior executivo PS da Câmara Municipal de Braga e posteriormente ao actual executivo da coligação Juntos Por Braga. Propostas essas que se resumiam a dois pontos fundamentais:

1- Estacionamento dedicados para as bicicletas
Rede ciclável entre a Universidade do Minho e a Estação de comboios

2- Foi assinalado que apenas uma parte dessas propostas foram executadas. Foi considerado pelo elementos presente da associação que os estacionamentos ainda são insuficientes e para além disso a rede ciclável entre os dois pontos fulcrais da cidade continua por fazer.

Posteriormente, Fernando Bessa enquadrou esta iniciativa do BE de reunir com a associação no âmbito das propostas que o partido tem para o ambiente referindo que o mesmo é uma das prioridades no seu programa eleitoral.

Alexandra Vieira referiu que o uso bicicleta é parte fundamental para a neutralidade carbónica desejada por Portugal e pela Europa e elencou as propostas do partido no sentido de incentivar mais o uso da bicicleta em meio urbano, combinado os transportes públicos.

A Braga Ciclável aproveitou ainda para referir a importância da segurança rodoviária. Os excessos de velocidade e as largas vias que existem na cidade são um entrave a uma maior utilização da bicicleta porque provoca insegurança nos ciclistas urbanos. Rafael Remondes referiu que apesar de as velocidades serem de 30, 50 e 70 km/h, esses limites não são cumpridos pelos condutores e que é muito importante apostar mais na fiscalização e na sensibilização. Victor Domingos sublinhou ainda a pouca atratividade das infraestruturas cicláveis na cidade como sendo outro factor para não existirem mais ciclistas. Foi dada a nota sobre o pouco custo de algumas medidas que ajudariam a melhorar a rede ciclável da cidade como separadores físicos em algumas vias entre ciclistas e condutores.

Foi pedida ainda pelo BE a opinião da associação sobre as actuais ciclovias em Braga que existem em Lamaçães e pelo Rio Este. Pelo que ambas foram consideradas insuficientes, sem ligação a pontos principais e com muitos erros apontados pela associação em sede própria.

A reunião foi terminada com os candidatos do BE a enfatizar de novo a importância não só da bicicleta no seu plano para a emergência climática bem como de meios de transporte coletivos e públicos.