Ciclistas Urbanos em Braga #65


Ciclistas Urbanos em Braga

Meik Schuetz é engenheiro de software e vem quase todos os dias de Fraião para o seu local de trabalho, na zona da Rua Cidade do Porto. Tal como muitos ciclistas, sempre que pode, tenta evitar o trânsito, em cujas velocidades excessivas (e ultrapassagens perigosas, também) não confia. Sempre que pode vai de bicicleta, em primeiro lugar porque é uma viagem mais agradável e, no fim de um dia de trabalho, pode aproveitar para ir ainda passear por trilhos nas redondezas da cidade.

Para além do trânsito extremamente acelerado em certas ruas e avenidas de Braga, refere a inexistência de ciclovias e Braga como um dos problemas. Quanto à única ciclovia que temos, diz que prefere nem a usar, para não correr certos perigos. Também considera urgente a instalação de estacionamentos para bicicletas, cuja falta sente, por exemplo, sempre que vem às compras.

Ciclistas Urbanos em Braga #10


Ciclistas Urbanos em Braga

O Joaquim, de Gualtar, usa a bicicleta entre outras coisas como uma forma agradável de praticar exercício e combater o colesterol. Até gostava de ir para o trabalho de bicicleta (na zona da antiga Grundig), se não fosse o receio de enfrentar o trânsito. Diz que se a cidade tivesse melhores condições certamente iria muitas vezes de bicicleta para o trabalho.

Nota:
Tenho vindo a notar que há muitos bracarenses que gostavam de usar a bicicleta para algo mais do que apenas o exercício físico prescrito pelo médico ou o passeio dominical. Entre os principais obstáculos encontra-se o trânsito e, de certa forma, a ausência de ciclovias.
Quanto ao primeiro, e boa parte dos casos, daria para resolver promovendo e fiscalizando medidas de acalmia do trânsito – dito de outra forma, reduzindo a velocidade de circulação dentro da cidade.
Quanto às ciclovias, diria que não são solução para tudo, mas que poderão ser particularmente úteis nos casos em que o trajeto dos ciclistas coincida com vias de grande movimento automóvel, com velocidades mais elevadas. Sobretudo quando há subidas à mistura.
No caso em análise, já ouvi dizer que a CMB terá prevista uma ciclovia ou ecovia junto ao Rio Este, que poderia vir a beneficiar os ciclistas que precisam de se deslocar da zona Este da cidade para a zona da Grundig, Ferreiros, Celeirós, etc. Vamos ver.
Para quem está a dar as primeiras pedaladas e tem medo de se aventurar no trânsito, eu recomendaria começar por vias menos movimentadas e progressivamente ir adaptando os percursos à medida que se ganha experiência e confiança. O trânsito em Braga tem as suas dificuldades, mas até nem é assim tão mau, quando comparado com outras cidades portuguesas…