Mais que um vício…uma coleção!

Mais que um vício…uma coleção!


Já todos tivemos ou temos uma “mania” de colecionar o quer que seja, alguma vez na vida.

Uns começaram apenas com uma moeda rara que encontraram no sótão de casa do avô e acabaram por colecionar milhares de moedas; outros colocaram o seu primeiro “magnético” no frigorífico enquanto namoravam e já contam com boas dezenas, forrando o mesmo, já casados; há quem ainda colecione algo mais comum: selos, bilhetes de cinema, cromos, miniaturas de automóveis, aviões, barcos, etc., por coincidências de vários tipos. Todo o género de coleções, para além do gosto e prazer que dão, requerem algum local onde sejam arquivados, armazenados ou expostos! Independentemente do tamanho, os colecionadores reservam o seu espaço especial para os seus bens preciosos! Locais esses que variam entre simples caixas de sapatos ou gavetas, onde colocam os seus bens mais pequenos, e pavilhões, onde apenas cabem alguns de maior dimensão. É nesta particularidade que gostaria de me centrar, na coleção de algo com dimensões consideráveis: obviamente que será uma coleção de bicicletas!

Nesta seleção existem os mais “forretas” que optam por rechear a casa com tudo relacionado com eventos deste fantástico meio de transporte de duas rodas; há quem ocupe a garagem com peças de bicicletas, com esperança de um dia conseguir montar uma bicicleta completa; há mesmo quem colecione vários tipos de bicicletas e as utilize (este caso será particularmente o meu) e há quem crie os seus autênticos museus da bicicleta! Um exemplo de um autêntico aficionado e colecionador de bicicletas é o nosso amigo Nuno Zamaro (Zé Nuno Amaro), líder da NunoZamaro Indústrias e WISE-U Creativity Fab Lab, bem conhecido cá em Braga pelo projeto BUTE (Bicicleta UTilização Estudantil), em conjunto com a Universidade do Minho. Por incrível que pareça, poderia ter acesso a milhares de exemplares de bicicletas, mas optou por colecionar algumas que considerou com valor sentimental e autênticas obras de arte. Conta com algumas ANGEL e algumas “clássicas”. Não sabe quantas bicicletas terá ao certo, mas pensa que rondam umas dezenas. Bem, Nuno, podes sempre enviar algumas para a Braga Ciclável, para desfilar na cidade de Braga. Fica a dica!

DICAS

1. Quem não souber o que colecionar, poderá sempre tentar começar por algo simples e ver se realmente será aquilo que deseja. Quem sabe, colecionar pin´s de associações, começando pelo da Braga Ciclável?

2. Há quem colecione dorsais de eventos ou mesmo flyers ou convites. Juntem os que reuniram este verão e já poderão iniciar a vossa primeira
coleção!

Em destaque

III Braga Cycle Chic é já no dia 16 de setembro. Apareçam!

(Vídeo) Braga Ciclável recebeu o Prémio Nacional da Mobilidade em Bicicleta


FPCUB Prémio Mobilidade em Bicicleta

O Braga Ciclável foi recentemente distinguido pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) com o Prémio Nacional da Mobilidade em Bicicleta, na categoria de Cidadania. Um prémio que honra a cidade de Braga e, muito especialmente, todos quantos se têm empenhado na divulgação e promoção da utilização deste meio de transporte.

Recorde-se que é a segunda vez que Braga conquista este galardão da mobilidade em bicicleta. A primeira vez foi no ano de 2008, em que a Universidade do Minho viu reconhecido pelo júri o seu esforço na implementação do projeto de empréstimo de bicicletas BUTE (projeto esse entretanto já extinto). É bom ver que Braga volta a ganhar novo alento para a questão da mobilidade sustentável e para a pertinência do uso da bicicleta como meio de transporte. E é bom também ver Braga a ser notícia lá fora por bons motivos. Esperemos que para o próximo ano, na próxima edição do Prémio, a cidade de Braga tenha novos e bem maiores motivos para garantir nova conquista deste troféu. Vamos a isto, Braga? 🙂

FPCUB Prémio Mobilidade em Bicicleta

O prémio, que é evidentemente de cariz simbólico, foi recebido por um nosso amigo, também ele ciclista, que se disponibilizou para estar presente em Lisboa naquela cerimónia e proferir algumas palavras de circunstância, a quem uma vez mais agradecemos.

Fica, pois, aqui o vídeo (o Braga Ciclável aparece representado aos 13m40s).

A todos os ciclistas bracarenses, à organização dos Encontros com Pedal, ao Mário e ao pessoal do Bracarae, e a todos quantos se têm entusiasmado e empenhado nesta causa, parabéns, e muito obrigado!

Ciclistas Urbanos em Braga #72


Ciclistas Urbanos em Braga

O Henrique usa ocasionalmente a bicicleta, mas gostava de ter melhores condições em Braga. Na breve conversa que tivemos, referiu ter tido conhecimento, pela comunicação social, de planos para a disponibilização de bicicletas partilhadas na nossa cidade e mostrou-se curioso quanto ao avanço desse projeto.

 
Notas:

Seria, sem dúvida, excelente ter em Braga uma boa rede de bicicletas partilhadas, que ligasse os principais pontos da cidade, incluindo os serviços públicos, áreas comerciais, universidades, etc. Mas, infelizmente, seja por culpa da temida crise ou, como outros arriscam acusar, por falta de vontade ou coragem política, a verdade é que o projeto das BUTE morreu há muito e o outro projeto, das bicicletas elétricas, parece ter tido destino parecido.

Numa pesquisa pela Internet acerca deste tema, é possível encontrar alguns relatos da época (há cerca de três ou quatro anos), mas aparentemente, nenhum desenvolvimento posterior:

Pessoalmente, e ainda que reconheça as enormes vantagens da implementação de um sistema de bicicletas partilhadas, como os de Barcelona, Londres, Paris ou Aveiro, penso que mais urgente ainda é a criação de uma rede viária ciclável na cidade de Braga. Com ou sem ciclovias, o mais importante é disponibilizar uma rede viária útil, a ligar os principais pontos da cidade de forma tão direta quanto possível, e em condições de segurança para quem se desloca de bicicleta. E estacionamentos para bicicletas nos locais em que são necessários.

Trata-se de um tipo de medidas que não requerem necessariamente um grande investimento financeiro, mas cujas vantagens seriam certamente aproveitadas por todos, ciclistas e não só.

Ciclistas Urbanos em Braga #48 e #49


Ciclistas Urbanos em Braga

A Helena e o Paulo, dois jovens empreendedores de Braga, gostam de usar a bicicleta para as suas deslocações pelo centro de Braga, por exemplo, para tomar um café. São os promotores do muito acolhedor Braga Pop Hostel, onde brevemente passarão a ser disponibilizadas algumas bicicletas para os seus hóspedes. Uma iniciativa inovadora que merece o nosso aplauso.

Nota
Durante uma pequena troca de impressões, veio à baila o assunto dos estacionamentos para bicicletas – praticamente inexistentes em Braga – e os frequentes roubos de bicicletas. Quase diariamente, vou conversando com ciclistas de Braga a quem já roubaram bicicletas, ou que conhecem alguém próximo a quem isso já aconteceu.

Parte do problema tem necessariamente que ver com o facto de ainda não haver estacionamentos adequados, em localizações úteis e em quantidade suficiente, no centro da cidade e não só. Não é fácil prender em segurança uma bicicleta usando o mobiliário urbano existente em Braga. Muitas pessoas acabam assim por prender a bicicleta de forma improvisada (e pouco segura), ou simplesmente facilitam e deixam-na sem prender, por alguns instantes. Infelizmente, bastam 2 ou 3 segundos para pegar numa bicicleta alheia e fugir nela…