Ciclistas Urbanos em Braga #70 e #71

Ciclistas Urbanos em Braga

O Javier e a Arancha são de Madrid e, quando visitaram Braga, decidiram alugar bicicletas para passear pela cidade. Pedalar pelo centro foi agradável, dada a pouquíssima inclinação e a existência de um importante conjunto de ruas de trânsito automóvel condicionado.

No entanto, as dificuldades surgiam invariavelmente na hora de visitar um monumento ou um museu, ou quando precisavam de parar para um café ou para almoçar. Encontrei-os junto à Sé, a esforçarem-se para prender as bicicletas àqueles pilares de pedra. Infelizmente, em Braga, não é possível encontrar estacionamentos adequados para bicicletas, e os ciclistas têm de improvisar como podem…

 
Notas:

Todos os anos, temos um número considerável de turistas que chegam à cidade de Braga de bicicleta, ou que por cá alugam bicicletas para visitar a cidade. A falta de estacionamento para bicicletas junto aos monumentos e museus da cidade é sem dúvida uma falha grave, e que é urgente resolver. E também não se compreende como é que ainda não existem estacionamentos junto ao Posto de Turismo, na Avenida Central.

Até eu, que não sou turista, mas que por vezes gosto de fornecer informações úteis a visitantes, já precisei de ir algumas vezes ao Posto de Turismo, deixando cá fora a bicicleta. Senti, como sentem todos os ciclistas em Braga, uma grande insegurança, pelo facto de não poder prender a bicicleta num local adequado.

Victor Domingos

3 Comments on “Ciclistas Urbanos em Braga #70 e #71”

  1. Descreves e muito bem, exactamente a realidade do dia-dia "insegurança"…
    Estes dias desloquei-me a uma consulta no novo Hospital de Braga de bicicleta claro! Sem sucesso procurei outros acessos depois de ter subido a Quinta da Armada, "obrigatóriamente" desci à nova variante, o único acesso ao novo hospital…
    É inacreditável uma obra recente que custou tantos milhões de euros e não ter uma ciclovia…É arriscado e pouca apelativa a ideia, de novamente o voltar a fazer. Para não falar da dificuldade de estacionar a bicicleta, que acabou por ficar amarrada a uma grade que dava acesso ao piso inferior do parque de estacionamento.
    É urgente sim, criar melhores condições para uma melhor qualidade de vida!

    1. Ao longo dos últimos tempos, já devo ter falado com, pelo menos, uns quatro ou cinco ciclistas que passaram por essa mesma experiência: foram ao hospital na sua bicicleta e, depois daquela subida íngreme, depararam-se com a inexistência de estacionamentos para bicicletas junto à entrada do hospital.

      No novo Hospital de Braga, existe um estacionamento do tipo "empena rodas", por trás da cabine de segurança/receção, longe da entrada principal. Para além da localização inadequada (longe da entrada e fora do campo de visão dos seguranças), estes estacionamentos são pouco recomendáveis dado que não permitem prender corretamente o quadro e ambas as rodas da bicicleta, e com frequência empenam a própria roda.

      Quanto às ciclovias, é verdade mesmo: este é um caso onde se justificava plenamente. Temos uma subida muito acentuada, que faz com que exista uma grande diferença de velocidades entre os velocípedes e o trânsito motorizado.

      O facto de se construírem novas edificações e vias de acesso sem que sejam previstos estacionamentos e vias de acesso para bicicletas parece demonstrar que ainda não existe ainda em Braga uma visão de futuro voltada para a mobilidade sustentável. E é pena, porque Braga tem condições invejáveis para se tornar numa cidade com uma qualidade de vida acima da média…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.