Ciclistas caem ao Rio Este!

Soube hoje, numa conversa de rua, que já caíram ao Rio Este pelo menos dois ciclistas que faziam uso da “Via Pedonal Ciclável” durante as suas deslocações. Ao que parece, felizmente e por sorte, esses dois acidentes não terão tido consequências graves, apesar de as vítimas terem necessitado de ajuda para sair do rio. Mas o desfecho poderia ter sido bem pior, dada a profundidade que tem o leito do rio e o caudal que apresenta em determinadas alturas do ano!…

Precipícios em ciclovia sem proteção - o perigo à espreita na via pedonal ciclável do rio este

A este propósito, não posso deixar de recordar o esforço que já tem sido feito, não só neste espaço, mas também noutros contextos e também por outras pessoas, para alertar a Câmara Municipal de Braga para a necessidade URGENTE de aplicar medidas efetivas de proteção da integridade física dos utentes daquela via. Faltam, em vários pontos, barreiras de proteção que ajudem a impedir quedas ao rio (cujo leito chega a ter alguns metros de profundidade), placas de sinalização, luzes, alargamento de vias, etc. Em momento oportuno, o atual presidente da CMB, Ricardo Rio, visitou a Via Pedonal Ciclável acompanhado de vários ciclistas, tendo tido a oportunidade de verificar no terreno alguns destes problemas, que se comprometeu a mandar corrigir.

Passado quase um ano desde essa visita, e passado também cerca de um ano desde que o atual executivo entrou em funções, seria de esperar que este tipo de acidentes já não acontecessem por inércia, digo negligência, da Câmara Municipal de Braga. Estaremos à espera que morra alguém ali para então se mandar apurar responsabilidades e, talvez, corrigir as referidas falhas de segurança?…

Victor Domingos

One Comment on “Ciclistas caem ao Rio Este!”

  1. A via pedonal ciclável tem pelo menos mais dois perigos bem à vista:

    1) as aberturas das guardas de proteção das pontes ao nível do chão são enormes. Parece-me muito fácil que uma criança de três ou quatro anos passe por elas e caia ao rio. Isto tanto é possível a pé como de triciclo ou mesmo numa bicicleta pequena.

    2) Há muitos ciclistas que circulam com excesso de velocidade por entre os peões, nomeadamente nos dias e horas de ponta como por exemplo ao domingo de manhã. Também neste caso me parece especialmente preocupante a possibilidade de colisões fatais com crianças que frequentemente fazem movimentos inesperados e repentinos aos quais não é possível que o ciclista reaja adequadamente se circular muito depressa.

    Fernando Pinto
    Utilizador frequente desta via tanto a pé como de bicicleta

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.