7 Avenidas: Vinte e Cinco de Largo por Sete e Meio

Da rotunda do Santos da Cunha até à rotunda do Fojo são 7,5 quilómetros. Nesse comprimento temos sete Avenidas com vinte e cinco metros de largura. Aí, 80% do espaço é dedicado ao automóvel. Isso mesmo, vinte metros da largura destas avenidas são para o carro. E esta é uma das espinhas dorsais Este-Oeste da cidade – a par da ligação pela estrada velha e centro histórico, que é um segundo eixo estruturante Este-Oeste.

Estas sete Avenidas são cruzadas por um conjunto de duas avenidas naquele que hoje é o centro da cidade de Braga: A Rotunda das Piscinas. Este é o ponto central da cidade do século XXI.

Poucas são as deslocações que fazemos em Braga sem se utilizar pelo menos parte de alguma destas sete avenidas.

Um perfil com vinte e cinco metros de largura, em qualquer cidade cosmopolita e desenvolvida na Europa, hoje em dia não dedica 80% do seu espaço ao automóvel. Se os nórdicos aprenderam isso há 50 anos, os “nuestros hermanos” aprenderam há 20, e cidades como Sevilha, Valência, Vitoria-Gasteiz, Saragoça, Burgos, Pontevedra, Barcelona, Madrid, entre outras, fizeram intervenções nas avenidas em pleno coração da cidade.

O que têm em comum todas as Avenidas modernizadas nessas cidades espanholas e em tantas outras europeias? Têm ciclovias, têm muitos semáforos e passadeiras à superfície, têm corredores bus ou transporte público em canal próprio e continuam a ter espaço para o carro, mas em vez de 80% é 60% ou 40%, ou menos.

Em 25 metros de perfil, criar duas ciclovias unidirecionais é alocar 12% do espaço à bicicleta. O carro continuaria a ter 68% do espaço. Criar dois corredores BUS é alocar 24% do espaço ao transporte público. O carro continuaria a ter a maioria do espaço.

Se em vez de termos uma avenida com 80% para o carro e 20% para os peões, tivéssemos uma avenida com o espaço dividido da seguinte forma:
– 20% para os peões,
– 12% para a bicicleta,
– 24% para o transporte público e
– 44% para o carro.

Alguma vez isto pode ser ditadura da bicicleta ou do transporte público? Não. Será, evidentemente, uma divisão democrática do espaço público, assim exista vontade.

Mário Meireles

One Comment on “7 Avenidas: Vinte e Cinco de Largo por Sete e Meio”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.