Vídeo do evento “Toca… a andar Braga” (Encontros com Pedal)

Sandy Kilpatrick nos Encontros Com Pedal

Por cortesia da TV Minho, aqui fica em vídeo um excerto do que se passou esta noite em Braga. À semelhança do que já vem sendo habitual nas iniciativas promovidas pelos Encontros Com Pedal, o evento “Toca… a andar Braga” consistiu num encontro informal de ciclistas urbanos, mas aberto à livre participação de todos os cidadãos.

O programa incluiu atuações do músico escocês Sandy Kilpatrick e do bracarense Antony Gonçalves. Ao longo da noite, para além dos participantes a chegar de bicicleta (que dão sempre um colorido especial a qualquer esplanada), houve muita gente que parou para ouvir um pouco de música e apreciar o ambiente de boa disposição. Omar Ruiz-Diaz, ciclista famoso que tem corrido mundo e que se encontra neste momento em Braga, recitou “Desiderata”, um poema do norte-americano Max Ehrmann, sobre como alcançar a felicidade (no vídeo abaixo, ao minuto 1h16m).

Os Encontros Com Pedal são uma organização informal bracarense que promove regularmente iniciativas de incentivo à prática desportiva, promoção do bem-estar, divulgação cultural e apoio a instituições de solidariedade social.

Por entre cafés, cervejas e canções, houve espaço para as intervenções dos organizadores dos Encontros Com Pedal e do presidente da Delegação de Braga da Cruz Vermelha, uma das instituições que apoiaram a realização deste evento. A quem interessar, eu apareço entre o minuto 5 e o minuto 10, para falar um pouco do uso da bicicleta e do projeto Braga Ciclável…

No final, como não poderia deixar de ser, cumpriu-se o ritual do passeio de bicicleta pelo centro de Braga.

De referir que este encontro serviu também como um momento preliminar para “abrir o apetite” para um grande evento que a equipa está a preparar para o mês de setembro, em parceria com a Delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa e outras instituições da cidade. Mantenham-se atentos!

Cruzamentos seguros em ruas com ciclovias – uma solução adotada na Holanda

Em Portugal, ainda estamos a aprender como havemos de integrar no trânsito as bicicletas (ou “velocípedes”, como gosta de lhes chamar o legislador). Uma das principais dificuldades são os cruzamentos de ruas ou avenidas que incluem ciclovias.

Se os cruzamentos (ou as rotundas, que ultimamente estão bastante na moda em Portugal) não forem bem desenhados, existe o risco de atropelamento dos ciclistas por parte de outros veículos. A solução encontrada na Holanda é bem engenhosa e, apesar de tudo, bastante simples. Como não ocupa mais espaço do que um cruzamento tradicional, esta solução pode ser facilmente implementada na maior parte dos casos, com baixo custo e apenas pequenas alterações.

Vejamos como funciona (vídeo em inglês, mas com legendas em Português).