O Paulo, um leitor do Braga Ciclável, enviou-nos a mensagem que abaixo reproduzimos. Tal como muitos outros utilizadores da bicicleta cá de Braga, também ele sente a necessidade de uma rede viária mais segura para ciclistas, pelo que decidiu avançar com a seguinte sugestão:

Nova ciclovia braga

Antes de mais gostaria de felicitá-lo pelo seu trabalho em prol do uso da bicicleta, é urgente mudar mentalidades.

Sou um usuário habitual da bicicleta, mas poderia ser mais, caso a minha cidade (Braga) oferecesse as infra-estruturas necessárias para que cada viagem de um ciclista não se tornasse um risco de vida.

Revolta-me ver novas obras a serem perpetuadas nesta cidade sem nunca aproveitar para criar condições para outros e mais saudáveis meios de transporte (inadmissível nos tempos actuais).

Assim, tenho pensado um pouco nesta situação, e parece-me que, sendo esta cidade de tamanho mediano, uma única ciclovia a atravessar a mesma em pontos cruciais e principais artéria da cidade, seria mais que suficiente para cobrir grande parte das necessidades.

Hoje dei-me ao trabalho de, em 10 minutos apenas, delinear o que me parece ser a ciclovia ideal para a nossa cidade.

  • Parte da estação de comboios e termina frente ao Mc Donald´s de Gualtar (perfeito para estudantes).
  • Sobe pela rua Andrade Corvo e Rua do Souto até à Avenida central (perfeito para quem se quer deslocar ao centro da cidade)
  • Segue para o Largo Srª-a-Branca e desce parte da 31 de Janeiro (tribunal, segurança social, clínicas, piscinas, supermercados, etc).
  • Segue pela Av. João XXI (Aqui facilita o acesso ao BragaParque e Pingo Doce) até ao McDonald’s de Gualtar (onde é possível comer um hamburguer para compensar e facilmente se faz uma ligação à ciclovia de Lamaçães (Continente, Media Markt, etc)

Uma única ciclovia com cerca de 5/6 km que me parece que resolveriam grande parte dos nossos problemas.

Será assim tão díficil?

(…)

Evidentemente, concordamos que este é um dos percursos mais óbvios para uma eventual intervenção no sentido de criar uma via ciclável a ligar o centro a Gualtar. O percurso sugerido tem a vantagem de ligar alguns dos principais pontos da cidade (Estação de comboios, zona comercial e histórica do centro, Tribunal, Segurança Social, centro comercial BragaParque, Campus Universitário de Gualtar, Instituto de Nanotecnologia, centro comercial MinhoCenter…), que certamente poderia ser aproveitado por um grande número de pessoas. Não há, pois, qualquer dúvida que esses são os pontos da cidade que é mais urgente ligar.

Há várias soluções possíveis, mas esta é sem dúvida uma das mais viáveis face à atual rede viária da cidade (uma outra solução seria aproveitar a Rua D. Pedro V e a Rua Nova de Sta. Cruz, restabelecendo uma ligação adequada entre ambas).

Já em termos de terminologia ou tipologia, e tal como tivemos já a oportunidade de aqui referir, não tem necessariamente de ser uma ciclovia ao longo de todo o percurso. Em alguns pontos do percurso (Avenida João XXI e Avenida 31 de Janeiro, por exemplo) seria ótimo dispor de ciclovia. Mas, no centro, estaríamos antes a falar de uma via partilhada com peões, e/ou com outros veículos, desde que efetivamente asseguradas velocidades de circulação compatíveis com essa mesma partilha.

O importante mesmo é assegurar que se disponibiliza aos ciclistas – que não são apenas desportistas ou pessoas em atividades de lazer – um conjunto de vias (partilhadas ou não) onde possam circular em segurança. As pessoas querem uma cidade onde possam viver sem medo de andar a pé ou de usar uma bicicleta, seja para se deslocarem para as compras, para o emprego, ou para levar os filhos à escola, por exemplo.

Victor Domingos

Victor Domingos

Escritor independente. Aprendiz de poeta, de ciclista e de tantas tantas coisas mais.
Victor Domingos
%d bloggers like this: